Publicado em

Ginkgo Biloba é um afrodisíaco milenar

Nativa da Coréia, China e Japão, a Ginkgo biloba é uma árvore que chega a 40 metros de altura e pode viver 4 mil anos, tendo sido considerada por Charles Darwin um “fóssil vivo”. Sua longevidade deve-se à grande capacidade de suportar insultos tóxicos e à resistência a infecções. É símbolo de paz e longevidade por ter sobrevivido às explosões atômicas no Japão.

Suas folhas têm sido frequentemente usadas no combate aos radicais livres e como auxiliar da oxigenação cerebral. As indicações mais comuns são o tratamento e a prevenção das condições médicas relacionadas ao envelhecimento, em particular para melhorar a memória e as funções cognitivas, bem como no tratamento de labirintopatias (vertigem e zumbido) e para melhorar a circulação periférica.

Outro estudo publicado em 2010 pelo Periódico Internacional de Psiquiatria Geriátrica, concluiu que a formulação de extrato do G. biloba, quando administrada como uma única dose de 240 mg diariamente, se mostrou significativamente superior ao placebo no tratamento de pacientes com demência com sintomas neuropsiquiátricos. O extrato de G. biloba,  contém porcentagens específicas de glicosídeos de ginkgoflavonas (24%) e terpenóides (6%), entre estes últimos os bilobalídeos e os ginkgolídeos A, B, C, M e J (Kleijnen e Knipschild, 1992).

A ação combinada dos diferentes princípios ativos presentes no extrato promove o aumento do suprimento sangüíneo cerebral e periférico pela vasodilatação e redução da viscosidade do sangue, além de reduzir a densidade de radicais livres  nos tecidos. O ginkgolídeo B é antagonista do receptor do fator ativador de plaquetas (PAF), daí suas propriedades de antiagregação plaquetária.  Contudo, os benefícios à saúde humana, em particular sobre a cognição, não foram totalmente estabelecidos.

Pode causar efeitos colaterais como irritação estomacal, dor de cabeça, tontura, constipação e reações dermatológicas alérgicas. Ainda há preocupação de que o extrato da folha possa aumentar o risco de sangramento e de que possa interagir com anticoagulantes.

Então, antes de sair tomando o Ginko biloba fale com seu médico. 🔥❤️