1 em cada 3 homens tem ejaculação precoce

 

A ejaculação precoce ou rápida é uma das reclamações mais frequentes dos homens e muitas vezes das parceiras também. Há muitas perguntas sem resposta sobre como definir o problema.

Devemos contar os minutos de movimentos vaginais, o controle voluntário da ejaculação ou a experiência da angústia pessoal? Até que ponto a ansiedade é um fator desencadeador tanto no desenvolvimento quanto na manutenção do problema?

A definição mais aceita atualmente:

  • Ejaculação persistente ou recorrente com um mínimo de estimulação antes, durante ou logo após a penetração e antes que a pessoa desejasse.
  • A alteração causa perturbação ou dificuldades no relacionamento
  • A ejaculação antecipada não se relaciona com efeitos diretos de alguma substância.

A ejaculação rápida pode ser definida como permanente ou adquirida, generalizada ou específica e devido a fatores psicológicos ou fatores psicológicos e biológicos combinados.

A ejaculação permanente caracteriza o homem que sempre apresentou essa característica ejaculatória, enquanto a adquirida refere-se a um homem que antes conseguia controlar a ejaculação e passou a não mais controlá-la. A ejaculação precoce adquirida pode ser consequência da disfunção erétil (perda de ereção ou dificuldade de ereção), nesse caso o homem inicia a relação sexual ansioso por saber que tem um tempo limitado para “completar”a relação antes de perder a ereção.

Em média 2/3 dos homens que apresentam ejaculação precoce tem a ejaculação precoce permanente e 1/3, a adquirida. A estimativa é que 1 em cada 3 homens apresentam ejaculação precoce.

O tratamento pode ser com terapia individual ou de casal, com ou sem tratamento medicamentoso associado. A psicoterapia individual é a escolha padrão para homens solteiros que não estão em relacionamentos. No entanto, sem uma parceira, o homem não pode praticar o que aprendeu, nesse caso o tratamento é dividido em duas fases, a primeira quando não há uma parceira e mais tarde reinício quando estiver num relacionamento.

Homens em relacionamentos são encaminhados a psicoterapia quando os fatores psicológicos sustentam a disfunção (por exemplo: medo de penetrar na vagina “escura, úmida e quente” ou medo excessivo de mulheres ou hostilidade contra elas).

A terapia individual é preferida quando o relacionamento é conturbado ou a mulher se recusa a participar.

A psicoterapia conjunta é recomendada a homens tanto com a forma permanente quanto adquirida, assim  ambos os parceiros ficam motivados a procurar a resolução do problema.

Os objetivos da psicoterapia são:

  • Aprender técnicas para controlar e/ou retardar a ejaculação
  • Ganhar confiança em seu desempenho sexual
  • Diminuir a ansiedade de desempenho
  • Modificar os repertórios sexuais rígidos
  • Reforçar a intimidade
  • Melhorar a comunicação

O tratamento medicamentosos é feito com doses diárias ou com doses programadas de inibidores seletivos de recaptação da serotonina ou clomipramina (um antidepressivo tricíclico). O retardo da ejaculação se observa na primeira semana e tende a melhorar na semanas seguintes. Os efeitos colaterais incluem fadiga, bocejos, náusea, problemas gastrointestinais e excesso de suor.

Ejaculação precoce tem tratamento, conheça as técnicas Stop-Start e Squeeze. Mantenha o diálogo com sua parceira.

 

2 comentários