Publicado em

O que é DST e como prevenir-se

Doenças sexualmente transmitidas são consideradas desordens transmitidas por contato íntimo, via placentária (na gravidez), através da passagem do canal de parto (no parto) e durante a amamentação; mas e o que é considerado contato íntimo suficiente para transmissão de doenças sexualmente transmissíveis? Continuar lendo O que é DST e como prevenir-se

Publicado em

Vacina protege contra o HPV

A vacinação previne o HPV em homens e mulheres. Conforme a última atualização do Centers for Disease Control and Prevention (CDC), órgão norte americano responsável pelo controle de doenças infecciosas, a vacinação pré-exposição é o método mais efetivo para prevenir a transmissão do papilomavirus humano (HPV).

A vacinação contra o HPV é recomendada  para meninos e meninas de 11 a 13 anos, podendo ser administrada a partir dos 9 anos de idade.

As vacinas  Quadrivalente e Nonavalente (disponível nos EUA) estão indicadas para homens e mulheres, a vacina Bivalente está indicada apenas para mulheres.

Para mulheres está indicada a partir dos 9 anos até os 45 anos;  para homens está indicada a partir dos 9 anos até 21 anos;   todos que nunca receberam nenhuma dose ou ainda não completaram seu esquema de 3 doses devem vacinar-se.

Para pessoas com HIV e entre homens que fazem sexo com homens (MSM) a vacinação contra o HPV está recomendada até 26 anos.

A eficácia da vacina quadrivalente recombinante contra papilomavírus humano (tipos 6, 11, 16 e 18) contra as lesões pré malignas do HPV (NIC 2/3 – lesões pré-câncer de colo uterino ou AIS – câncer glandular do colo uterino) relacionados aos tipos 16 ou 18 foi de 98,8%. A vacina quadrivalente recombinante contra papilomavírus humano (tipos 6, 11, 16 e 18) foi altamente eficaz na redução da incidência de casos de câncer do colo do útero, vulvar, e vaginal, NIC (de qualquer grau), AIS – adenocarcionama in situ, câncer do colo do útero não invasivo (NIC 3 e AIS) e lesões genitais externas (inclusive condiloma acuminado), NIV (de qualquer grau) e NIVa (de qualquer grau) causados pelos tipos 6, 11, 16, e 18 de HPV.

Informe-se com seu médico e procure uma sala de vacinas. Previna-se contra o HPV e aproveite o sexo sem vírus e sem grilos. ❤️

Fonte: Sexually Transmitted Diseases Treatment Guidelines, 2015. MMWR , 64:3  140p.

Publicado em

2% dos preservativos rompem

Quando usado consistentemente e corretamente os preservativos de látex (camisinha ou condom) é altamente efetivo para a prevenção da transmissão sexual do HIV. Em relacionamentos heterossexuais HIV discordantes (apenas um dos parceiros positivo para HIV), o parceiro sem HIV tem 80% menos chance de se infectar se o uso do preservativo for consistente, ou seja, usar sempre; comparado com casais  que não usam preservativo.

Vários estudos demonstram que o uso consistente e correto de preservativo reduz o risco de outras DSTs (doenças sexualmente transmissíveis) como clamidia, gonorréia e trichomonas. O preservativo masculino também previne a  infecção HPV, herpes genital, hepatite B, sífilis e cancróide; quando a área infectada está coberta pelo preservativo.

A taxa de ruptura do preservativo durante o sexo, nos EUA é de 2 rupturas em cada 100 preservativos usados; a taxa de ruptura é maior durante o sexo anal.

Conforme a CDC (Centers for Disease Control and Prevention), órgão norte americano responsável pelo controle de doenças infecciosas;  a falha do preservativo em proteger contra transmissão de DST/HIV e gravidez indesejada resulta geralmente do uso inconsistente (pouco frequente) ou incorreto do preservativo e não pela ruptura dele.

Preservativo masculino de poliuretano tem proteção contra DST/HIV e gravidez indesejada comparável ao preservativo de látex, assim, pode substituir o preservativo de látex em alérgicos. Eles são mais resistentes contra deteriorização, sendo compatíveis com lubrificantes a base de água e óleo, enquanto os preservativos de látex são compatíveis apenas com lubrificantes a base d’água.

O segredo para evitar falhas é colocar o preservativo antes de haver contato entre pênis e vagina, de preferencia com o pênis ereto e seco; ao colocar o preservativo deve-se apertar a ponta para tirar o ar e desenrolar o preservativo totalmente até a base, para evitar que o preservativo fique dentro da vagina deve-se retirar o pênis ainda ereto da vagina segurando a base do pênis com o preservativo.

Mesmo tendo o risco de 2% de rompimento, o preservativo deve ser usado em todas as relações sexuais. Faça sexo seguro! 😉🔥❤️